segunda-feira, novembro 13

Do perdão


Portanto, se fores até ao altar para levares a tua oferta, e aí
te lembrares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa
a oferta diante do altar e vai primeiro fazer as pazes com o teu
irmão; depois volta para apresentar a oferta.

Jesus, Mateus 5:23-24 V.S.R

De que nos serve ofertar, de que nos serve dizermos que amamos o nosso parceiro(a), de que nos serve dizer que gostamos muito do nosso irmão, do pai, da mãe, de todos, quando nem sequer ainda nos perdoámos a nós próprios por actos, palavras erros cometidos ao longo desta vida, e de muitas outras em que cá andamos?

E se não nos perdoámos a nós próprios, como seremos nós capazes de perdoar o outro?
Porque há necessidade de haver perdão?
Porque houve ofensa?
Falta de respeito?

E porque houve tudo isto?
Porque primeiramente não nos soubemos respeitar a nós próprios.
Porque só saberemos respeitar os outros quando primeiramente nos conseguirmos respeitar a nós próprios.
E dizemos, quantas e quantas vezes, "Eu não lhe faltei ao respeito!", com o tom da indignação porque nos sentimos insultados, ofendidos.
Mas... e será que nos soubemos respeitar a nós próprios?
Será que a nossa ofensa não é para connosco mesmos?
Pronto, o erro está cometido, a palavra proferida, o desagrado instalado. E agora?

Agora resta-me perdoar-me por não me ter sabido respeitar e resta-me perdoar-me porque não soube amar-me o suficiente para me ter deixado entrar numa guerrinha de egos.

E agora?
Agora abraço-me, num abraço de profundo amor, com todo o respeito por mim mesmo, e verdadeiramente sentindo o perdão que devo ter por mim próprio.

E quando tiver conseguido isto?

Hum... que tal fazer o mesmo ao outro? Ao meu parceiro(a), ao meu amigo, ao meu irmão, ao meu pai, mãe, aos meus filhos.

Que tal abraçá-lo num abraço de profundo amor, respeitando-o, aceitando-o e perdoando-o?

Não há melhor do que um abraço.

É bom, envolvente, aconchegante, e quando os corações se sincronizam, então, ainda é melhor.

Deixo-vos um abraço destes.

E muita paz, também.

9 comentários:

Lua Cristal Vermelha disse...

Obrigado pelo teu texto que mais uma vez faz todo o sentido para mim ...

Tinha que o ler ...

Quando precisamos de alimento somos alimentados não é verdade ?

Deixo aqui mais umas palavrinhas que fizeram muito sentido para mim no contexto do perdão e que também fizeram parte da minha "refeição" ...

"Não mostre ao seu Deus o tamanho do seu problema...
Mostre ao seu problema o tamanho do seu Deus !!!"

Um Abraço daqueles

lucy disse...

SE há 'atitude' mais difícil de tomar e ao mesmo tempo mais libertadora, o perdão está em 1ª linha. Vivemos sempre a culpar os outros de tudo, a transformar as mágoas em pântanos de tristeza e rancor, a criar o nosso inferno. Dar o 1º passo em direcção ao perdão custa muito, é preciso ter muita coragem e assumir a nossa cegueira espiritual. O mundo à nossa volta é feito de uma mágoa só. Só o crescimento espiritual nos fará sair deste lamaçal que nos faz escorregar e afundar uns aos outros. Eu tenho tentado transformar os meus velhos pensamentos por outros mais felizes e saudáveis. Por isso, venho 'beber' ao poço que me acalma a sede.
Um abraço 'desses' igualzinho para ti.

Anónimo disse...

Muito bom. Simples, directo. Gostei e precisa rever-me nestas palavras.

abraço

Cachorro Cosmico Branco disse...

Lua Cristal,
é mesmo assim, o alimento que necessitamos, recebemo-lo. Só temos que entender que o estamos a receber.
Adorei essa de mostrar os nossos problemas o tamanho que temos. E que eles nada podem perante a nossa essência.

Deixo-te um abraço muito doce e terno.

Cachorro Cosmico Branco disse...

Querida Lucy,
O primeiro passo para o auto-perdão começa quando entendes que o que acontece, o que te acontece, a única responsabilidade é tua.
Foste tu que atraíste as coisas para a tua vida para as vivenciares, aprenderes, cresceres.
Entende que as outras pessoas combinaram contigo encarnarem ao mesmo tempo, para te ajudarem a crescer.
Não é fácil, doi. Mas se entenderes isto, e o que foi que tiveste que crescer, certamente te ajudará.
Outra coisa que certamente te ajudará, é não acreditares que aquilo em que acreditas é uma cegueira espiritual, mas que é uma luz que te ilumina o teu caminho de crescimento.
Espero que continues sempre a vir aqui beber deste 'poço'.
E sempre que tiveres duvidas, questões, ou qualquer outra coisa que queiras partilha, fá-lo.
Aqui não se julga, ama-se.

Para ti deixo um abraço do mais profundo do meu ser, acreditando que dele sairão faíscas de amor que farão transmutar esse teu estado actual.

Muito amor para ti.

Cachorro Cosmico Branco disse...

António,

Esse é o meu estado habitual. Conhece-me... simples, directo.
Assim sou eu.
Um pouco mais :)

Use as minhas palavras, e faça delas as suas. Se isso fôr o que neste momento fôr melhor para si.

Um grande abraço de paz

Anónimo disse...

Cachorro,

em relação àquilo que atraímos e não atraímos, não dá para perceber porque atraí/não atraí certas coisas, pessoas, situações. Foi para aprender, mas aprender o quê?!
Dou voltas e mais voltas e não consigo perceber o que há para aprender.
Se uma pessoa não sabe, mesmo esforçando-se sinceramente, sem medo de enfrentar a verdade, então como fazer para alcançar o auto-perdão total?
Ou será que não é preciso saber? Basta aceitar... Perdão é aceitação.
Atraí? Então agora desatraio. Não atraí? Então agora atraio.Fiz? Desfaço. Mas tá feito...

Sonhei contigo ontem.Quer dizer: sonhei com um cão cheio de pelo muito branco, daquele branco que branco mais branco não há, e o cão, ao andar, deixava atrás de si uma luz muito branquinha. Acordei e lembrei-me de ti,por isso digo que sonhei contigo :)

Um beijinho
CN

Cachorro Cosmico Branco disse...

CN!!!!

Há muito tempo desaparecida no nevoeiro... Qual D. Sebastião... :)

A questão muitas vezes é essa, achamos que já não temos nada para aprender e não entendemos o porquê de determinadas situações.
Algumas dessas vezes, os encontros/desencontros servem para limpezas cármicas (para que as pessoas se possam encontrar e perdoar-se uma à outra). Uma vez resolvido aquele assunto, aquela pessoa não voltará à nossa vida. Entendes?
Auto-perdão total?
Oh! Queres ascender já? Tão rapidamente?
Auto-perdão total, sem dívidas carmicas nenhumas? Oh! Como era bom. Mas creio que ainda teremos (por mim falo, eheheh) que cá andar mais uns tempos.

É verdade! Querida CN, perdoar é saber aceitar. Porque quando aceitamos: que somos uma mónada divina e que nos comprometemos (lá em cima) a passar um monte de situações (cá em baixo) para que pudessemos evoluir mais depressa; que o outro não precisa de ser um espelho nosso, mas que é também um ser divino individual com 'defeitos' e 'virtudes' como nós, na verdade não há nada a perdoar, simplesmente, porque não houve erro.

Ah! Então eu era um cão Tide? Ah! ou mais YETI (tipo abominavel homem das neves)? AHAHA...

Fui eu que te atraí, já não sabia de ti há muito tempo, e se calhar tinhas qualquer coisita para ler por aqui.

:)
Fico feliz por teres vindo aqui dar um olá.

Um abraço muito grande para ti.

Anónimo disse...

Sou grata por ter vindo aqui e por este blog existir.

Querida cachorrinho tide... :))
Obrigada!

Com carinho,
Um Grande Abraço
* * *
CN

Selos

EU SOU LUZ E QUERO ILUMINAR...
Cada passo do meu caminho para poder partilhá-lo contigo.